segunda-feira, 15 de maio de 2017

Como é suposto reagir?

Se o fim de semana frente ao Belenenses foi difícil de digerir, faltam-me as palavras para explicar o que aconteceu em Santa Maria da Feira.

Na mesma altura do jogo, o Festival Eurovisão da Canção atraía todos os ouvintes/espetadores/telespetadores pela diversidade musical que era ali, em Kiev, apresentada.

Portugal apresentava a música "Amar Pelos Dois", enquanto a Espanha cantava a "Do It For Your Lover". Numa comparação rápida, podemos dedicar a canção portuguesa à Onda Verde que se deslocou a mais um jogo fora de casa e que cantou (amou) pelo Sporting por todos os que estavam lá ou em casa. E o que os levava, numa noite fria, dia de mais um título do rival, no terceiro lugar e após um jogo tão mau frente ao Belenenses? Vamos usar a música espanhola e justificar este ato como feito pelo amor ao Sporting (Do It For Your Lover).

A verdade é que acompanhar o Sporting nos bons e maus momentos é já a historyja majho žyccia (história da minha vida, como cantava a Bielorrússia). E não só minha, é de todos os que amam o Sporting enquanto equipa e família e não apenas um plantel num determinado desporto. São aqueles que amam o Sporting e viajam para o Cazaquistão, onde o Sporting perdeu mais uma final europeia, para Gondomar, assistir a mais uma derrota frente ao rival no futsal, ou a mais uma larga vantagem "perdida" frente ao Porto em andebol.

Encontraram aqui a palavra chave? O apoio é e será sempre ao Sporting Clube de Portugal. O que me leva a regressar ao jogo frente ao Feirense.

No final da época é fácil criticar ou elogiar uma equipa consoante a classificação final, mas este jogo serviu também para mostrar o quão preparado está ou, neste caso, não está o plantel e o treinador para a próxima época.

Existem derrotas injustas, derrotas justas e jogos como estes, em que não sei como reagir. Se acreditava que o Sporting ia vencer? Sim. Se estava confiante que ia vencer? Sim. Se achava que também era possível o Sporting perder ou empatar? Pois.. sim, também.

Em campo é difícil (ou fácil em alguns casos) ver quem não está satisfeito com os resultados desta época e quer dar tudo para que o Sporting se volte a levantar. Porque está ali, no chão, estendido. Antes movido apenas pelo primeiro lugar na Bota de Ouro, sem pensar até que jornada conseguimos disputar o campeonato.

Regressando à Eurovisão, sou um grande fã da montagem da música do Salvador Sobral com o golo do Éder no Euro 2016. Então fez-me pensar, que música poderia ser colocada num resumo do jogo frente ao Feirense? A melodia da Norma John (Finlândia) com a triste Blackbird ou a Yodel It! da Roménia para representar o ridículo?

Já o disse muitas vezes esta época, "o Sporting vai aprender com o erro que cometeu nas transferências desta época", mas será que vai? Quando me falam em Piccini, dá-me um arrepio na espinha. O drama, o horror, a tragédia de ter dois Schelottos no plantel. O que levou uma direção a arriscar em jogadores que já não marcavam à meia época (Castaignos), jogadores que falharam sempre na Europa (André), ou pior, jogadores que já falharam cá (Elias)? Confesso que ainda acreditei no Elias, mas isso sou eu, enquanto adepto, que tento sempre imaginar o melhor cenário possível. Sobre a próxima época, Mattheus Oliveira e André Pinto poderão ser boas opções, mas não são jogadores para uma titularidade imediata (ou futura).

Agora diz-me, Sporting, como é suposto reagir quando dizem que esta é a pior época desde o sétimo lugar. Como é suposto reagir quando um peruano dedica, com ironia, o título ao presidente Bruno de Carvalho? Como é suposto reagir quando um treinador declara que a equipa está 90% focada num jogo e já 10% no seguinte? Como é suposto reagir quando já pedimos tão pouco e nada recebemos? Diz-me porque eu não sei, como é suposto reagir a esta derrota frente ao Feirense e a toda esta época em geral? Vá lá, ao menos o Salvador venceu.

terça-feira, 9 de maio de 2017

O Efeito Luís Martins


A duas jornadas do fim, o Sporting B garantiu, mais uma vez, a permanência na Segunda Liga.

Para os mais distraídos, a manutenção é algo normal mas, o cenário afigurou-se negro durante grande parte da época. Sob o comando de João de Deus, o Sporting encontrava-se no penúltimo lugar da classificação e numa série de 12 jogos sem ganhar.

Se, por vezes, as alterações na equipa técnica alteram positivamente os resultados da equipa, este foi um desses casos. Luís Martins regressava a um cargo de treinador principal com a missão de fazer a formação leonina regressar às vitórias e, ao principal objetivo, a manutenção.

Agora, após 8 vitórias, 3 empates e (apenas) 2 derrotas depois, o Sporting já respira melhor e já se vê futuro em alguns jogadores do plantel.
 

Com o crescimento da equipa, apareceu Gelson Dala. O avançado angolano tem sido um dos destaques e um dos elementos mais importantes desta mudança.

Com 12 golos em 16 jogos, poderá estar próximo de chegar ao plantel principal, numa altura em que a equipa já não tem objetivos ou possíveis subidas/descidas na classificação.


Este domingo, às 16h, o Sporting B recebe a Académica, para depois terminar a época frente ao Braga B.

p.s. Este artigo não tem qualquer intenção de demonstrar que, a existir qualquer culpa para os maus resultados, João de Deus fosse o principal culpado.

sábado, 29 de abril de 2017

Agora venha a final!

O Sporting chegava à Final Four como a única a não ter conquistado o troféu. Das quatro equipas em prova, o Sporting era a única que não era cabeça de série e defrontava, nas meias finais, o atual campeão em título, o Gazprom Ugra.

Amanhã será o jogo da (grande) final frente ao Inter Movistar, uma equipa que avança a cada passo dado por Ricardinho. O melhor jogador do Mundo de Futsal é cara já conhecida pelos portugueses mas, apesar disso, será muito difícil contrariá-lo.

Porém, o Sporting terá algo que o Inter não terá, a vontade de dar a todos os sportinguistas o único título que falta ao museu do clube. A formação espanhola é já uma presença regular na final e jogará com essa experiência.

Mas experiência também não falta ao Sporting. Apesar de regressar à final 6 anos depois, conta com já vencedores da competição, como Léo ou Marcão, e campeões europeus de seleções, como Fortino ou Alex Merlim.

O jogo de ontem servia também para mostrar do que o Sporting era capaz... e a equipa não falhou. Controlaram e venceram uma encontro muito complicado. Merlim e Dieguinho fizeram os golos:


A final é já no domingo, às 14:30h, na RTP 1 e Eurosport 2.

Tragam o caneco, leões!

segunda-feira, 24 de abril de 2017

Pós-Jogo: Sporting 1-1 Benfica

O dia começou com uma tragédia difícil de se prever. Num confronto físico desnecessário entre claques em frente ao Estádio da Luz, um simpatizante italiano, Marco Ficini, perdeu a vida, vítima de atropelamento e fuga.
Este é um assunto que ainda tem muito por explicar e descobrir, mas não me quero alongar mais neste artigo. Recomendo apenas a leitura do último artigo publicado pelo Artista do Dia, onde apresenta uma das várias reações repugnantes que surgiam horas após o sucedido.
Quanto ao jogo em si, o onze inicial apresentava duas alterações na defesa, com destaque para o regresso de Paulo Oliveira. Substituiu (e bem!) Rúben Semedo e foi um dos jogadores com a exibição mais positiva.

Do outro lado, Cervi ocupou a vaga deixava por Jonas, que não recuperou a tempo do jogo, ficando fora dos convocados.

Foi um jogo pouco disputado e pouco atrativo. Uma arbitragem que quiser ser "mais inglesa" e acabou por ser mais criticada que apreciada. O critério era largo e pouco conciso. Faltas claras para os dois lados a não serem assinaladas, cartões por mostar e... um golo do empate vindo de uma falta inexistente.

Schelotto
Pegando já no assunto de faltas por assinalar, foi principalmente estranho como um penálti óbvio sobre Grimaldo não é assinalado. O lateral sportinguista ataca a bola de forma pouco precisa e acerta apenas no lateral espanhol. Na minha opinião, o único penálti por assinalar.
Se teve dificuldades na defesa (e que sorte teve em existir um jogador como Gelson a ajudar), ofensivamente não foi melhor. As várias corridas pela lateral sem qualquer conclusão foram constantes ao longo do encontro, para desespero dos adeptos.

Um defesa e meio
Paulo Oliveira entrou na partida e foi o elemento mais importante de uma defesa apagada. Coates teve os seus momentos mas a sua exibição não foi a melhor, comparando com o que tem vindo a fazer esta época.

Nas alas, a juntar a Schelotto, um Jefferson que mais parece o amigo que chamam à última da hora para preencher a vaga de alguém que não pode jogar. Mais uma exibição sofrível do brasileiro que parece já estar com dias contados para a saída.
William

Confesso que o local onde vi o jogo não me deixou ter muita atenção, mas o médio defensivo do Sporting pareceu o mais castigo por faltas inexistentes a serem assinaladas. Foi um dos jogadores que mais elogiei no final do jogo, mas parece que só a mim me agradou. O resultado não é o melhor, mas tentarei ver novamente o jogo e perceber se mudo ou não a minha opinião.
Gelson Martins

É unânime. Sportinguistas, benfiquistas e portistas estão rendidos a um jogador que parece ter caído do céu após a perda de um jogador como João Mário.

A um mês de fazer apenas 22 anos, o extremo foi o melhor jogador em campo e o único que parecia querer sair com a vitória. A equipa não conseguiu acompanhar o seu ritmo e o que ficam são apenas jogadas deliciosas... sem qualquer conclusão.
Essas conclusões devem-se, principalmente, a um trio ofensivo (Bruno César, Alan Ruiz e Bas Dost) muito apagado. O goleador holandês precipitou-se em vários lances e falhou duas oportunidades que não costuma falhar. Num jogo com tão pouco remates, teria sido decisivo um golo seu.
Empate com sabor a derrota no que respeita ao que falta para o fim do campeonato. Um vitória aproximaria o Sporting dos dois primeiros classificados e a esperança de uma classificação final melhor.

sexta-feira, 21 de abril de 2017

Antevisão: Sporting - Benfica

Alvalade irá receber aquele que será um dos jogos mais importantes da época. O resultado final poderá definir o futuro campeão.

Será mais um dérbi com casa cheia, apesar de a luta pelo título continuar a ser praticamente impossível.

Escolhas dos Possíveis Onzes Iniciais:

Sporting: Rui Patrício, Schelotto, Rúben Semedo, Coates, Esgaio, William, Adrien, Gelson Martins, Bruno César, Alan Ruiz e Bas Dost

Benfica: Ederson, Nélson Semedo, Luisão, Lindelof, Grimaldo, Fejsa, Pizzi, Salvio, Rafa, Jonas e Mitroglou

Com Marvin fora por acumulação de amarelos, Esgaio deverá ser o escolhido para a posição. Vejo ainda uma probabilidade de surpresa com a titularidade de Joel Campbell, apesar de não ser muito provável.

Do lado do Benfica, Jonas, supostamente lesionado, deverá recuperar a tempo do clássico e ser titular. Foi até já confirmada a sua convocatória.

Pela primeira vez em já alguns anos, o Sporting entra em campo sem grande pressão, algo que poderá ser positivo, enquanto o Benfica não pode perder o jogo.

segunda-feira, 17 de abril de 2017

Pós-Jogo: Vit. Setúbal 0-3 Sporting

Tal como previ, o onze inicial incluiu Adrien e Gelson Martins e a equipa cumpriu com o pedido e com um resultado volumoso.

O Vitória de Setúbal demonstrou o porquê de já ter conseguido tirar pontos a Benfica e Porto, ao realizar uma boa exibição, com alguns erros graves na defesa a serem fatais.

Gelson Martins

Enquanto algumas pessoas não esperavam ver Gelson a titular devido ao risco de ficar de fora do clássico, o extremo internacional português foi mesmo titular, e até marcou!

Apesar de mudar de não convocado a titular numa semana, Gelson não baixou o ritmo e foi coroado Homem do Jogo.

Marvin
Viu amarelo e falhará o Clássico frente ao Benfica. O holandês que até começou a época numa boa forma, tendo sido chamado à seleção inclusive, voltou às exibições medíocres que façam os adeptos desesperar por novos laterais.

Jorge Jesus tem agora em mãos uma alteração forçada para um lugar sem alternativas de valor.

Rúben Semedo

Continua a ser aposta no centro da defesa e continua a não convencer. Foi substituído e, mais tarde, substituiu um Paulo Oliveira numa boa forma.
 
Apesar da equipa estar num bom momento defensivo, sendo o segundo jogo consecutivo sem sofrer, Rúben Semedo não tem estado ao nível de Paulo Oliveira. Porém, muito provavelmente, será titular no clássico.
Alan Ruiz

Há quem guarde o melhor para o fim e o passe para o último golo, o de Bas Dost, foi sem dúvida o momento alto da noite.

Não marcou mas voltou a ser importante. A dupla Bas Dost e Alan Ruiz será utilizada até ao final da época... e as defesas que se preparem...


quinta-feira, 13 de abril de 2017

Antevisão: Vit. Setúbal - Sporting

O #DiaDeSporting chegou mais cedo com uma deslocação a Setúbal para defrontar um clube que já retirou pontos a Benfica e Porto.

Apesar de ser um clube que tem sofrido muitos golos frente ao Sporting, o último encontro acabou com vitória da equipa da casa e eliminação dos leões da Taça da Liga.

Curiosamente, esta época, é uma equipa que não sofre muitos golos e o factor casa irá complicar ainda mais a partida.

Escolhas dos Possíveis Onzes Iniciais:

Vit. Setúbal: Bruno Varela, Pedro Pinto, Fábio Cardoso, Vasco Fernandes, Nuno Pinto, Agu, Nenê Bonilla, João Carvalho, Costinha, João Amaral e Edinho

Sporting: Rui Patrício, Schelotto, Rúben Semedo, Coates, Marvin, William, Adrien, Gelson Martins, Bruno César, Alan Ruiz e Bas Dost

Gelson está de regresso e deverá voltar à sua posição. Podence deverá sair em relação à semana passada.

Embora tenha gostado de ver o Bryan no meio campo, consigo ver o Jorge Jesus a colocar o Adrien de regresso ao onze.

Depois da maneira como o Sporting saiu derrotado do Bonfim da última vez, será a vez da "vingança" com uma vitória para a Liga.